31 de Maio|Dia Mundial sem Tabaco

O tabagismo responde por 45% das mortes por infarto de miocárdio, 85% das mortes por enfisema e 30% das mortes por câncer. As pessoas que não fumam, mas convivem com fumantes, também são seriamente afetadas. O tabagismo passivo em ambientes fechados amplia em 30% o risco de desenvolver câncer de pulmão, 25% as doenças cardiovasculares, além de asma, pneumonia, sinusite, entre outras. (Fonte: Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE))

Desde 2014, com a regulamentação da Lei Antifumo, está proibido o consumo de cigarros, cigarrilhas, charutos, cachimbos e outros produtos fumígenos, derivados ou não do tabaco, em locais de uso coletivo, públicos ou privados, mesmo que o ambiente esteja só parcialmente fechado por uma parede, divisória, teto ou até toldo.

Mais informações sobre o combate ao tabagismo na página do Observatório da Política Nacional de Controle do Tabaco – http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/observatorio_controle_tabaco/site/home/

Advertisements

Dia Internacional pela Luta da Saúde da Mulher e Dia Nacional de Redução da Mortalidade Materna

A data foi definida em 1984, no IV Encontro Internacional Mulher e Saúde, realizado na Holanda, durante o Tribunal Internacional de Denúncia e Violação dos Direitos Reprodutivos. Desde então, o tema saúde da mulher ganhou mais visibilidade e norteia ações e políticas que visam a redução de mortes maternas.

Ao celebrar essa data, o objetivo é chamar a atenção de toda a sociedade para o problema das mortes maternas e os direitos das mulheres.

Melhorar a saúde das gestantes é também um dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio.

Mais informações:

http://nacoesunidas.org/unfpa-acoes-marcam-data-pela-reducao-de-mortalidade-materna-e-da-saude-da-mulher/